aedeseculex ecovec

Diferenças entre o culex e o mosquito da dengue

Dois grandes conhecidos no Brasil, Culex quinquefaciatus, mosquito comum e o Aedes aegypti, o famoso mosquito da dengue, embora muitas vezes possam ser confundidos, têm características bastante diferentes. O Aedes aegypti, além de transmitir a dengue, transmite também a Febre Chikungunya. Já o Culex, que a um primeiro momento pode parecer inofensivo, transmite a febre do Nilo e a filariose. Para combatê-los é necessário conhecer um pouco da sua biologia e do seu ciclo de vida.diferencas-culex-mosquito-dengue

Criadouros do Culex e do mosquito da dengue

Enquanto o mosquito da dengue gosta de água limpa como a que fica parada embaixo dos vasos de plantas, nos pratinhos ou nos lixos da rua quando chove, os Culex preferem água com bastante material orgânico como fossas, esgotos e valas. Isso faz com que os locais que ainda sofrem com a falta de saneamento básico, com esgoto a céu aberto, tenham uma alta incidência de proliferação do Culex.

Prevalência

De acordo com um estudo divulgado pelo Ministério da Saúde 17, municípios do Brasil têm alto índice de infestação do mosquito da dengue. Belém (PA), Porto Velho (RO), Maceió (AL), Natal (RN), Recife (PE), São Luis (MA), Aracaju (SE), Vitória (ES), Cuiabá (MT) e Porto Alegre (RS) são as capitais que estão nessa lista. Outras 533 cidades foram classificadas em situação de alerta.

Já o culex está espalhado por todo o país. Por exemplo, em um levantamente  que recebeu o nome de “Frequência Domiciliar de Culicidae em Zona Urbana de Goiânia- Goiás- Brasil” informou que entre 12 espécies de mosquitos capturados dentro de casa,  cerca de 69% foi o Culex quinquefasciatus e 14% foi o Culex dolosus.

Mesmo não sendo sua população maior que do Culex, o monitoramento do mosquito da dengue é feito pelos gestores da saúde pública por ser transmissor de doenças como a Dengue e a Febre Chikungunya.


Hábitos 
do Culex e do mosquito da denguemosquito-dengue-chikungunya

O Culex está presente em diversas partes do mundo e vive bem em território urbano, por esse motivo é classificado como cosmopolita. Sua maior incidência é ao entardecer e durante a noite e no escuro ele é atraído pelo gás carbônico eliminado pela respiração. Por este motivo, é mais fácil notar a presença do inseto através do zumbido na hora de dormir. Eles apresentam cor marrom e as suas pernas são lisas e não listradas.

Já o mosquito da dengue é mais escuro e possui marcações brancas nas patas e pelo corpo. Tem hábitos de vida diurnos, ou seja, picam, preferencialmente no início da manhã e no fim da tarde. Ao contrário do Culex, o mosquito da dengue não tem zumbido.

Uma similaridade pode ser apontada entre ambos: o tempo de desenvolvimento aproximado é entre 8 a 10 dias no verão e pode demorar um pouco mais no inverno.

larvas-culex-mosquito-dengueDiferença das larvas

Apesar de ambas as espécies não gostarem de exposição ao excesso de luz, essa característica é mais acentuada no mosquito da dengue. Por isso, as larvas do mosquito transmissor da dengue são encontradas, normalmente, nos cantos mais escuros do criadouro, enquanto as de Culex ficam mais espalhadas.  Outra diferença é que as larvas de Culex têm cabeça e tórax maiores.

Diferença dos ovos do Culex e do mosquito da dengue

A postura dos ovos do mosquito da dengue  é feita próxima a uma lamina de água e não exatamente na água. Assim, se o local secar, eles conseguem permanecer por até um ano e ainda são capazes de originar os mosquitos tão logo um bom ambiente para a eclosão seja encontrado. Isso faz com que o controle seja mais difícil, pois eles se mantêm de uma estação chuvosa até a outra e ainda podem ser carregado pelo próprio homem. Outra circunstância que dificulta o controle do Aedes é que uma fêmea divide seus ovos em mais de um criadouro na mesma postura. Pelo larvicida Pyriproxyfen ter ação residual de até oito semanas, ele é considerado o mais indicado para esse mosquito.

Já o Culex deposita o ovo na água do mesmo criadouro. Uma substância viscosa faz com que os ovos fiquem unidos e flutuando. Se retirados de dentro da água não liberarão mais o mosquito, ou seja, ficam inviáveis. Como apostura do Culex é feita em local com matéria orgânica, incluindo rios e áreas de esgoto. Algumas iniciativas usam larvicidas biológicos para o seu combate (Bacillus thuringienses var. isrraelensis – BTI e Bacillus sphaericus – BS). Eles agem seletivamente e não atrapalham as demais espécies, sendo considerado a melhor escolha quando se fala em preocupação ambiental.

Tanto o Culex quanto o mosquito da dengue liberam entre 150 e 200 ovos, dependendo do volume de sangue ingerido.

Transmissão de doenças

O Culex é o principal vetor da elefantíase ou filariose que é causada por vermes. As filarias se alojam no sistema linfático e podem causar inchaço e aumento excessivo, principalmente, dos membros inferiores. Ele também é responsável pela transmissão da Febre do Nilo, enfermidade viral que tem sinais clínicos iniciais semelhantes aos da dengue, porém, atacam o sistema nervoso. Embora ainda não haja caso confirmado dessa doença em pessoas no Brasil, já há relatos de aves com o vírus.

O Aedes aegypti, além de transmitir a dengue, também é responsável pela transmissão da Febre Chikungunya, uma doença recém-chegada no Brasil. Causadas por vírus diferentes, as duas têm sintomas semelhantes, porém, a Chikungunya dá dores mais fortes no corpo da pessoa acometida.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *