liraa Ecovec

LIRAa – Levantamento Rápido do Índice de Infestação de Aedes aegypti

LIRAa: Mapeamento conta com o apoio da população

O Mapa da Dengue é realizado três vezes por ano, sempre nos meses de janeiro, março e outubro nas capitais e municípios da região metropolitana, nos municípios com mais de 100 mil habitantes e naqueles com grande fluxo de turistas ou de fronteira. A ideia é identificar os criadouros predominantes para que possa ser feito um levantamento sobre a situação real da localidade, e, desta forma, traçar uma estratégia de combate ao foco.

Para isso, entretanto, o apoio da população é fundamental, permitindo a entrada dos agentes de endemias responsáveis pelo LIRAa. Cada município é dividido em grupos ou estratos de 9 mil a 12 mil imóveis que tenham características semelhantes, dos quais 450 imóveis são visitados. Dessa forma, os estratos são classificados de acordo com o seu índice de infestação.

  • Índice inferior a 1% – Condições consideradas satisfatórias;
  • Índices entre 1% e 3,9% de infestação – Condição de alerta;
  • Índice superior a 4% – Risco de surto de dengue.

Esta é a época do ano em que o índice costuma ser maior devido às altas temperaturas. Para se ter uma ideia, se o ciclo do mosquito leva 30 dias em temperaturas amenas, no calor ele pode demorar apenas 12 dias, aumentando em mais de 50% a quantidade da população do vetor.

Mesmo tendo sua importância, o LIRAa não é a melhor alternativa para prevenção da dengue

Segundo a Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS) através de um estudo em parceria com a fundação Oswaldo Cruz, os índices utilizados para o LIRAa não são a melhor alternativa para avaliar a infestação nos locais desejados. Isto ocorre devido a utilização de índices larvários do mosquito Aedes aegypti, distanciando dos reais dados da presença da dengue já que a doença é transmitida pelo vetor adulto e em nenhuma hipótese a transmissão ocorre na fase larvária. Para o levantamento mais assertivo da infestação da dengue ou da febre chikungunya, o processo deve levar em conta a fase adulta do vetor e para isso o uso de armadilhas como a MosquiTrap® são essenciais para o levantamento. Além disso, com a captura do vetor adulto é possível verificar a presença do vírus da dengue e possibilita um melhor monitoramento para efetuar a prevenção epidemiológica. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *